Reivindicação de correção da tabela do IR pela inflação é urgente, diz Dieese

em .

Em nota técnica recém-divulgada, o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) defende que a reivindicação mais urgente em relação ao IRPF (Imposto de Renda da Pessoa Física) deve ser a correção anual da tabela pela inflação.
Segundo a entidade, a política tributária pode vir a ser um instrumento eficaz de distribuição de renda, porém, no Brasil, ocorre exatamente o contrário. O IRPJ é um exemplo típico. Quando os salários são corrigidos anualmente pela inflação e a tabela do IR não, os trabalhadores têm seu rendimento corroído em valores reais. Estudo feito pelo Dieese, em conjunto com o Sindifisco Nacional (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal) e o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), mostra que, entre 1996 e 2017, a tabela sequer foi corrigida no período de 1996 a 2001 e nos anos de 2003, 2004, 2016 e 2017.
Nos anos em que houve a correção, exceto em 2002, 2005, 2006, 2007 e 2009, o índice ficou abaixo da inflação. Resultado disso é que a defasagem acumulada de 1996 para cá já chega a 88,5%, ao tomar como base a inflação medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Ampliado), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).
 

Fale Conosco

  • Sede Santo André
    Rua Gertrudes de Lima, 202 - Centro - Santo André
    Telefone: (11) 4993-8999 - Veja o Mapa

  • Sede Mauá
    Avenida Capitão João, 360 - Matriz - Mauá
    Telefone: (11) 4555-5500 - Veja o Mapa